segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Os tipos de transplantes

              
Tipos de transplantes


Olá pessoas, estava vendo uns slides de imunologia que tive esses dias e um deles abordavam o tema: os tipos de transplantes, fiquei intrigado com a quantidade de classificações e como nosso organismo reage a cada um deles.
Os transplantes podem ser divididos em: iso-transplante, xeno-transplante, alo-transplante e auto-transplante.




- Iso-transplante: são transplantes realizados entre gêmeos univitelinos (tem o mesmo genoma e são clones um do outro), o risco de rejeição é zero pois o genoma é idêntico e os leucócitos (células de defesa) do organismo do receptor nesse caso não irão rejeitar as células do doador.




- Xeno-transplante: é o transplante entre animais de espécies diferentes, por ex: são criados porcos em laboratórios que possam ser compatíveis com algum receptor humano de algum órgão específico. Mas porque o porco e não o macaco (que tem bases genéticas de 99% idênticas ao homem) ? No caso do transplante não é só necessário a compatibilidade genética mas sim a consideração do tamanho do órgão, já perceberam que crianças não podem doar orgãos para adultos? O porco tem órgãos de tamanho parecido com o do homem, porém, o risco de rejeição é grande já que as bases genética não são tão idênticas assim.




- Alo-transplante: é a principal forma e mais frequente de transplante, ocorre entre indivíduos da mesma espécies com características genéticas diferentes, por ex: eu e meu tio, por mais que eu seja parente co-sanguíneo do meu tio nossas bases genéticas são um pouco diferentes. Nesse tipo de transplante geralmente ocorre rejeição, então é preciso que o receptor tome remédios imunosupressivos (que enfraquece a imunidade) para o resto da vida.




- Auto-transplante: é o tipo de transplante onde se retira uma parte do seu corpo para implanta-la em outra parte do próprio corpo, por ex: retira-se pele de certo local e coloca onde houve a queimadura. É um tipo de transplante que não ocorre rejeição, já que são as próprias células do corpo que são transplantadas.




E para encerrar o tema vai um incentivo: seja doador de órgãos, você pode salvar vidas!


2 comentários:

  1. Olá, blogueiro (a),
    Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.
    Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.
    Acesse www.doevida.com.br e saiba mais.
    Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde
    Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,

    parabéns pela matéria.

    Atenciosamente,
    Rafael Félix

    ResponderExcluir